Eventos

SIP Connect Online 2020: Novas propostas sobre o negócio dos media

Durante o painel New Business da SIPConnect Online 2020, foram apresentadas diferentes perspetivas sobre o futuro da indústria dos meios de comunicação num contexto pós-COVID.

Na passada quarta-feira, dia 27 de maio, durante uma nova sessão do SIP Connect Online 2020, realizou-se o painel New Business. Participaram deste painel Jorge Canahuati, primeiro vice-presidente de SIP; Roberto Rock, diretor da La Silla Rota (México); Armando Castilla, diretor do Vanguardia (México) e Fernando Gómez, presidente da Protecmedia, que atuou como orador e moderador.

Ao longo do painel, foram abordados os desafios que os meios de comunicação enfrentam no panorama pós-COVID devido às mudanças notáveis no comportamento dos leitores, bem como os diferentes caminhos partilhados por um elemento comum: o importante papel da tecnologia na obtenção de resultados neste contexto digital.

A transformação digital é uma realidade que tem vindo a ficar em todas as áreas e, claro, também na indústria dos media.

Cada orador trouxe a sua própria visão e experiência. Aqui está um excerto de cada palestra por ordem de intervenção:

Fernando Gómez, presidente da Protecmedia, colocou em relevância a importante informação que os meios de comunicação podem extrair das suas audiências digitais, desde que tenham a tecnologia certa. Por exemplo, a análise RFV Score fornece a segmentação mais ou menos leal dos utilizadores ao meio de comunicação. Estes dados são a base para o desenho de novas estratégias que permitam aumentar o grau de fidelização dos utilizadores e, finalmente, transformá-los em subscritores.

Jorge Canahuati, primeiro vice-presidente do SIP, afirmou que nesta nova era pós-COVID os meios de comunicação terão de se focar mais na forma como fazem negócios, a sua visão inovadora aposta no método de tentativa-erro. Estabeleceu que, no caso de este sistema funcionar, os meios exigirão novas ferramentas que forneçam dados e resultados precisos derivados de cada ação. Só assim, apostando nos seguros, os meios poderão criar valor e funcionar de forma rentável a nível comercial, e também alcançar uma continuidade sólida a longo prazo.

Roberto Rock, diretor da La Silla Rota, defendeu que a base do negócio de qualquer meio deve basear-se em conteúdos relevantes e de qualidade. Se aplicável, a medição abrangente através de ferramentas digitais fornece dados e informações que utilizam para definir as bases principais do negócio.

Armando Castilla, membro do Conselho de Administração do SIP e diretor do Vanguardia, apresentou como o jornal se adaptou à nova era digital e como o seu modelo de negócio inova com base na informação que obtêm, ouvindo o seu público e atendendo às soluções de que necessitam. Para tal, orientaram o seu trabalho na criação de um novo ambiente em que o mundo offline se junta ao meio digital.

Ao longo de todas as intervenções, vimos como cada um dos oradores levantou vários exemplos das diferentes formas de conduzir o negócio dos media. Todos eles têm em comum o uso de uma tecnologia específica para o conseguir, quer se centre no conhecimento das audiências, na análise da qualidade dos conteúdos ou na oferta de novas soluções para os leitores em ambiente online.

A Protecmedia oferece soluções que facilitam a transformação digital para os meios de comunicação de forma transversal, quer em gestão editorial, gestão de audiências e de publicidade.

Graças a uma compreensão profunda da realidade do setor e dos novos desafios que os meios de comunicação social enfrentam, propomos ferramentas que incorporam as funcionalidades mais relevantes para alcançar resultados eficazes.